É ELA  

Posted in Uncategorized on maio 14, 2014 by roslin

 

Ele ama ela,

como o amarelo

ama a amarela.

 

E o cheiro de canela

se espalha pela janela

das lembranças em aquarela

que pintam minha donzela

tão morena e tão bela.

 

Meu olhar, então, congela,

a imagem que se atrela

a minha córnea-tela.

 

E não mais se esfacela

e de forma alguma degela.

É tal pintura em capela

que nem o tempo contigo duela,

este mesmo tem cautela

ao tocar na imagem dela

 

É ela, é ela, é ela…

 

A minh’alma apela.

Ah, quem me dera aeronauta-caravela,

que a imaginação remodela

para cruzar do espaço a sela

pois tua ausência me flagela.

 

(…)

 

O que digo não é balela,

somente ela me zela.

 

Que saudades da tua costela,

isto é o que em mim martela.

e o tempo ainda protela,

e a dor que engata na goela.

“quem eu quero é ela”.

 

É ela, é ela, é ela.

ATÉ DEUS MORREU

Posted in Uncategorized on fevereiro 8, 2014 by roslin

Morreu João.

Morreu Maria.

Morreu o filho

da minha tia.

 

Morreu longe, do

outro lado da cidade,

uma moça

que tinha a minha idade.

 

Morreu Isadora.

Morreu seu Adonai.

Morreu meu velho

e saudoso pai.

 

Anteontem,

de repente,

morreu o tio

aqui da frente.

 

Morreu a minha

vizinha rebeca,

acho que a morte

me cerca.

 

Dizem que

até Deus morreu!

Mas quem

tanto poder te deu?

 

Por que a morte,

então, não se liquida?

Porque, assim,

pereceria a vida.

O amor?

Posted in Uncategorized on fevereiro 3, 2014 by roslin

 

Isso que não existe.

De tanto ouvir falar

inventei coisa melhor

pra te entregar.

Mostrar-te-ei

Posted in Uncategorized on fevereiro 3, 2014 by roslin

Vou te mostrar

como voltar

de onde não se veio,

passando

pelo caminho

do meio.

Observação

Posted in Uncategorized on fevereiro 3, 2014 by roslin

O mundo viu

e fez a morte.

A morte por crime

vigiada por horas.

Morte por desastre

que o caos calcula

com precisão.

Morte por febre

possuindo carne

e sangue por completo.

A morte de tudo

que vive é preciso

para que a própria

vida aconteça.

Para que a nova

vida se nutra.

Na morte a vida

se recicla.

Como pode

Posted in Uncategorized on janeiro 27, 2014 by roslin

Como pode o céu caber

dentro de uma poça d’água

no fundo do meu quintal?

Ele deve encher todo o oceano

carregado de estrelas

celestealmente marinhas.

Artilharia

Posted in Uncategorized on janeiro 27, 2014 by roslin

Compartilhar

com parte da ilha

 a arte de ilhar:

artilharia